Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

06
Jun19

E agora José Castelo Branco?

Cláudia Matos Silva

Será que chega à assembleia da república? O José anda a fazer por isso movendo influências através do instagram que já vai nos 105k. Resta saber se estes seguidores seriam capazes de votar nele ou são como aqueles mirones que em plena hora de ponta ficam a atravancar o trânsito para ver o acidente que ocorreu na faixa oposta. Sim, José Castelo Branco a chegar a primeiro ministro seria um desastre, mas como já tivemos um outro José (Sócrates) que fez com quem todos os que votaram nele (eu) cobrissem a cara de vergonha, já nos vamos habituando a estes 'faits-divers' da política nacional.  É mais ou menos a nossa atitude quando vemos um carro caputado em cima da ponte, primeiro abrandamos para olhar 'epáaaa' e depois seguimos viagem porque não é assunto que nos diga respeito.

 

A política portuguesa diz cada vez menos respeito aos próprios portugueses que já perceberam que não são tidos nem achados nas decisões dos governos; à esquerda, à direita ou ao centro. Quem estiver no poleiro tem de seguir as directrizes da união europeia. Perdemos a identidade, somos 'cidadãos europeus'.  As pessoas estão cada vez mais dispostas a votar noutras pessoas e não em partidos, que como o próprio nome indica tem vindo a 'partir' e a quebrar o sentido de ser português. Parece que só nos lembramos com orgulho de que somos portugueses quando o Cristiano Ronaldo marca um golo na selecção. E quando os pés lhe falharem? Talvez o próprio pudesse dedicar-se à política, não tenho duvidas de que seria eleito.

 

O José Castelo Branco em princípio não corre o risco sequer de chegar à assembleia, tal como o João Manuel Vieira (um outro personagem, num estilo boémio) que tentou a sua sorte mais num acto de protesto e escárnio que outra coisa. A questão é que na altura do líder nos enapá 2000 não havia redes sociais (quanto muito o hi5 ou orkut) e hoje uma rede social como o instagram vive de fantasia (já viram quantidade de filtros?) e o Zé não é bem uma pessoa, é um personagem que nos habitiou a fazer rir, a tirar o português deste cinzentismo crónico. Ele sabe disso, diverte-nos e usa as ferramentas da moda a seu favor. Mas não sabemos quem é verdadeiramente o JCB, sem todos os acessórios que exibe, sem os maneirismos que o caracterizam, ou tiradas cómicas e aquele gemido que vem no final com um 'bichaaaa'. Mas será que queremos mesmo saber?

 

O José é tão relevante para a sociedade portuguesa que até tem um sex-tape, Tomás Taveira já é passado, e diga-se que nesta tentativa de actor, o José não se safou nada mal. Até me surpreendeu pela generosidade, muito mais interessado em dar do que receber, se é que me entendem. E todas essas manobras servem para o divertir a ele e a todos nós que ainda não percebemos como raio chegou a conde e por parte de quem. Mas isso não nos interessa, como na política portuguesa, não queremos ter nada a ver com isso mas espreitamos à distância para termos uma boa história para contar aos amigos. 

 

Que a candidatura do José Castelo Branco o divirta e que a nós também nos encha a barriga de riso.

03
Jun19

Qual o destino de 'LIKE ME?'

Cláudia Matos Silva

Para quem ainda não se deu conta a TVI estreou a semana passada um novo reality show inspirado na profissão da moda, influencer. Ao certo, ninguém sabe o que influencer quer realmente dizer, a não ser que recorramos à tradução literal, influenciador. A questão é que os concorrentes selecionados para este novo programa da TVI em pouco ou nada podem influenciar os portugueses, até porque passam a maior parte do tempo trancados numa casa, aborrecidos, a entabular converseta para 'encher chouriços' e a dar invejáveis mergulhos na piscina da casa da venda do Pinheiro. Pois bem, por agora é a única coisa que verdadeiramente pode influenciar-nos; ou trabalhamos loucamente para ter uma casa com piscina ou arranjamos um senhor/a que nos ajude a ter uma. De resto pouco há a dizer sobre este programa que a produção prometeu ser um formato inovador. Pois bem, os espectadores foram enganados e respondem mudando de canal. E ao que parece os concorrentes também foram no engodo e por isso não andam nada entusiasmados.

 

De qualquer forma deixo ai a minha review à apresentação dos concorrentes. Para quem sentir o mínimo de curiosidade em saber afinal o que é isso do 'Like Me'.

Os apresentadores desta catástrofe televisiva são Ruben Rua, uma aflição vê-lo a querer tanto tanto que o programa funcione (mas o caso está mesmo perdido) e a actriz brasileira Luana Piovani, que muitos perguntam porque motivo foi escolhida para fazer parelha com o Ruben. A Luana há muito manifestou vontade de viver em Portugal portanto não é de espantar que tenha conseguido um 'tacho' porque afinal tem três bocas para alimentar lá em casa. Terá sido a melhor aposta do Bruno Santos (actual director da TVI)? As audiências dizem que não e tal como aconteceu noutros reality shows, também 'Like Me' corre o sério risco de ser cancelado. Por agora sabe-se que o bloco das 19 horas foi descontinuado, pois prejudicava as audiências do jornal da noite. Assim sendo estende-se 'A tarde é sua' na esperança que os espectadores não fujam ao ver tanto influenciador desocupado à beira de uma piscina.

 

A pipoca mais doce foi um dos nome de proa, que no entender da produção iria trazer acréscimo ao programa, mas não. Até a pipoca deve ter respirado de alivio quando se viu dali para fora, e por mais que nas redes sociais admita já ter saudades dos seus meninos, foi bem evidente o enfado da blogger (agora armada em stand up comedian) durante uma semana de estadia na casa. 

A primeira gala do 'Like Me' foi efectivamente a certeza de que a fórmula já não funciona e o descarrilar de um programa que não gerou simpatia por parte do público. Haverá vários motivos para isso, um deles é o facto de os portugueses na sua essência não fazerem ideia do que é um influencer. Mas se ao menos fosse esse o verdadeiro objectivo do reality show, criar novos influenciadores, talvez com o tempo o espectador fosse compreendendo e criando um envolvimento, ou usando um termo bem brasileiro 'um engajamento', com os concorrentes. A verdade é só uma e a gala veio prová-lo. O que a produção quer é tão simplesmente criar romances de ocasião com um ambiente a aquecer a meio da tarde e nádegas descontroladas a entrar-nos pelo ecran cá de casa.

 

Se assim é, faça-se como há uns tempos, em que expulsaram da casa os dançarinos do (esse sim inovador) 'Let's Dance' e no mesmo dia meteram uma nova fornada de concorrentes do 'Love on Top'; ou deverei chamar 'fornicadores despudorados' ?

 

Se é para 'esfudaçar' as audiências, assuma-se sem pudor e façam do canal 12 o novo canal 18.