Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

28
Dez19

Qual o novo documentário da Netflix que anda a dar que falar?

Cláudia Matos Silva

«Don't f**k with cats - hunting an internet killer».

 

Apesar do mote serem gatinhos, e a sua brutal morte, em imagens divulgadas em videos que se tornaram virais no youtube, há muito mais neste jogo de gato e rato. Quando a plataforma do youtube surgiu não havia qualquer controlo, podia publicar-se as maiores barbaridades e foi isso que o protagonista desta história, Luka Magnotta, resolveu fazer para se tornar famoso.

 

Prometo não fazer «spoiler» mas sobre Luka há apenas a dizer que era um miúdo como tantos outros da sua idade, com uma imensa vontade de ser bem sucedido como modelo ou actor. Nenhum dos investimentos que fez deu frutos, Luka continuava a ser um miúdo normal com uma imparável vontade de deixar de ser apenas mais um na manada. E com a facilidade que as redes sociais nos proporcionam, estão à nossa disposição ferramentas que nos poderão tornar populares na rede (ou fóra dela), dependendo do quão insanos consigamos ser. E o Luka Magnotta foi louco o bastante para fazer história, a história que magicou na sua cabeça doente.

 

Deixem-me dizer que a história do Luka louco (entre muitos outros loucos) serviu para que as próprias plataformas digitais criassem mecanismos mais evoluídos para precaver a divulgação de imagens impróprias e que hoje serão um petisco para quem frequenta a dark web. Os filtros usados pelo youtibe, por exemplo, estão cada vez mais eficientes, mas estão longe de ser infalíveis. Muitas vezes é necessário a vistoria de um funcionário da empresa para decidir até que ponto as imagens devem ou não ser removidas. E apesar de haver regras, a subjectividade ainda é algo que levanta muitas duvidas; o que é chocante para uns para outros pode servir de aviso para um exemplo a não seguir. 

 

O caso do Luka Magnotta está devidamente solucionado mas esta batalha na rede ainda terá muitos capítulos, um deles é criminalizar comentários de ódio. Diria que é urgente fazê-lo.