Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

22
Nov19

O que é isso de juntar os trapinhos?

Cláudia Matos Silva

Nunca pensei nisso, até ao dia em que estava na cozinha, a arrumar trapos. Isto enquanto amaldiçoava o mundo inteiro pelo meu plano de ser uma Carrie Bradshaw da margem sul não se ter tornado realidade. Em que guião a Carrie estaria na cozinha, vestida com um fato de treino mal enjorcado, chinelos de enfiar no dedo e a arrumar panos com mais vida que ela própria?

 

Aquilo que a vida me deu não estava programado. Talvez estivesse escrito nas estrelas, ou num papiro muito antigo algures encondido numa gruta num deserto qualquer, mas isto em que a minha vida se tornou, foi uma autêntica reviravolta. Não tomem estas linhas como uma queixa, nada disso, tenho uma santa vida, sem nada que realmente me chateie, a não ser a porra dos gatos; Benji e Rusty, não há meio de se entenderem. De resto, corre tudo de feição.

 

Mas a questão de juntar os trapos nunca me havia ocorrido porque nunca julguei que ao falar-se de trapos podiam estar a falar dos trapos da cozinha. E quem inventou esse termo podia referir-se a todo o tipo de trapos, desde as ceroulas, às fronhas mas no meu caso a realidade bateu-me quando dobrava panos da cozinha, numa gaveta cheia até dizer chega. Porque raio estava a gaveta tão cheia, o que tinha mudado? Ah, afinal agora os meus panos (herança da minha mãe) com estampas de galos de barcelos, e outros com tirinhas de crochet (chamam-lhe picot), também uma herança que trago da minha passagem pela Rádio Amália e das muitas oferendas que os ouvintes nos mimavam, passavam a ter nova vizinhança. Juntavam-se novos panos, pelo menos aos meus olhos, e que esmagavam arrogantes, os que toda a vida tiveram lugar cativo naquela gaveta. Pensei, os meus trapos, os trapos deles, são agora os nossos trapos, juntos.

 

É oficial juntamos os trapos. Qual o próximo passo? Escolher os que ainda se encontram de boa saúde e dar um novo rumo aos que já tiveram uma vida árdua de trabalho. Sem melindrar nenhum dos trapos e respectivos donos. Vamos harmonizar porque eles vão ter de caber todos na porra da geveta e queremos que caibam a bem.

1 comentário

Comentar post