Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

02
Out19

O mr Piracy está em baixo e agora?

Cláudia Matos Silva

 

Na verdade o site regressou ao mundo dos vivos após 24 horas em baixo. Não é suposto assumir que uso 'sites macacos' para ver séries e filmes, não fica lá muito bem, porque não deixa de ser compactuar com um crime. E se são cada vez mais habilidosas as formas de apanhar quem incorre em infracção também as maneiras como estes sites se propagam é admirável. Será que aplaudo serviços como o Mr Piracy, que de há uns meses a esta parte entrou na minha vida para me revelar séries e documentários que de outra forma eu não teria acesso? Usando o sarcasmo e um emoji a piscar o olho, eu diria, criminoso seria deixar de os ver. É no entanto um argumento egoista, pensando no meu único prazer.

 

O Mr Piracy esteve em baixo e eu fiquei francamente preocupada. E agora, como vou ver os conteúdos que me interessam e que não passam na tv?! Eu já dei tantas oportunidades à televisão, a generalista está cada vez mais longe de um público jovem, inteligente e curioso. Os canais por cabo, apesar de temáticos, repetem programas até à exaustão. Se antes a TV servia para me adormecer, agora nem isso. Estou rendida aos encantos de uma arte meio bizarra chamada ASMR e que se propagou pelo youtube para nos encaminhar ao reino dos sonhos no mais puro relaxe. A mim quem me embala todas as noites é a WhispersRed, é britânica e chama-se Emma. 

 

Entretanto, o Mr Piracy voltou, senti um alivio enorme e ao mesmo tempo um sentimento de culpa por estar a usufruir gratuitamente de arte. Logo eu, cuja profissão na área artistica sempre foi mal paga (e muitas vezes nem paga foi), deveria ter outra sensibilidade e perceber que não está certo usar um serviço destes.

 

Vem de longe o meu uso da pirataria, nunca vendi nada, apenas buscava conteúdos que a tv não oferecia e visionava-os egoisticamente. É claro com o sistema das torrents todos nos predispomos a partilhar algo que não nos pertence. Creio que há uma geração que ainda não se deu conta de que isso é crime, e como sempre teve estes sites disponíveis acha-os um direito. Mas quem cá anda há mais tempo sabe que não é assim, desde o tempo do napster, ainda nos anos 90 e  três semanas para sacar um album raro (se tivesse sorte). Eu andei a saltar de plataforma em plataforma até um dia, já em pleno século 21 apanhar um virus. Fiquei lixada, era um castigo ao meu crime. Senti que estava a pagar a factura.

 

Anos mais tarde, todos me falavam do consumo de conteúdos em streaming. Não me queria meter nisso, lá está nos 'sites macacos', como lhes gosto carinhosamente de chamar. Tanto insistiram e dei comigo dependente dele, o tal do site macaco, Mr Piracy. Enquanto a minha consciencia se vai debatendo com esta questão da moral e dos principios (ou no caso a falta deles) comecei a ver uma antiga série 'DEXTER'.

 

O site lá vai funcionando o tempo suficiente para me consciencializar que não será meu o reino dos céus. E até pode ser divertido entrar no reino dos pecadores, apesar de tudo divertem-se à brava e no fim acredito que vamos todos parar ao mesmo sitio. Só ainda ninguém sabe ao certo que sitio é esse e talvez seja melhor assim.