Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

15
Jan20

Já viste o último filme com a Juliette Binoche?

Cláudia Matos Silva

 

OUI.

 

E o título em português deixa muito a desejar, do original «celle que vous croyez» passou a «Clara & Claire». Tirando este detalhe, um filme que merece muito a pena ser visto, mas apenas por pessoas com disponibilidade para cinema europeu. Quem gosta do registo 'holywoodesco' com ritmo, acção e diálogos assertivos, não terá grande paciência para este filme, atribuindo-lhe até o galardão de 'valente estopada'.

 

Não foi o meu caso. Eu saí da sala de cinema, lívida, ainda mais do que é costume. Silenciosa, apática, confusa e com a certeza que aquela é uma história comum nos nossos dias. Pessoas que usam as redes sociais, nomeadamente o facebook, para criar perfis falsos. Dessa atitude aparentemente sem gravidade, surgem situações que podem comprometer a vida de muitas pessoas. Uma mentira dita muitas vezes, passa a ser verdade, pelo menos na cabeça de Claire de 50 anos e cujo o peso da idade lhe custa a carregar. Uma mulher charmoso, inteligente, professora universitária e que sempre ouviu os maiores elogios aos seus atributos fisicos. Olha-se agora ao espelho e vê-se de pele baça, pálpebras descaídas, olheiras profundas e resolve ser Clara, uma linda mulher de 25 anos. 

 

 

Aceitar quem somos e no que nos vamos transformando faz parte do nosso percurso de vida, penso que lhe chamam, aprendizagem. Mas a aparente bem sucedida e bem resolvida Claire não aceita, e  não faz questão de aprender, por isso transforma-se num embuste que leva até às últimas consequências.

 

Recomendo muito «Clara & Claire» porque raras vezes saio da sala de cinema sem piu, e até meio azamboada, quando isso acontece é sinal de que vi um excelente filme. Tive exactamente os mesmos sintomas quando deixei a sala depois de assistir a 'Joker'. Atenção, não estou a dizer que são filmes semelhantes. Apesar da doença mental estar presentes em ambos os casos, são universos diferentes e também por isso, um não invalida o outro. Todo o filme que nos acrescenta merece o nosso dinheiro na compra do bilhete e este não é desperdicio.