Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quem Tramou a Gordinha?

Quem Tramou a Gordinha?

13
Out19

E se uma figura pública te começar a seguir no instagram?

Cláudia Matos Silva

 

Se viveres debaixo de um calhau, vais sentir-te no topo do mundo, completamente validado porque se 'fulano de tal' que aparece todos os dias na novela da noite vê as tuas publicações, isso quer dizer que és mesmo um ser especial. E és, tal como somos todos. Mas esse tipo de coisas não deveriam ser o botão que ligamos para valorizar a nossa existencia mediana. Porque na melhor das hipóteses todos temos uma vida normal, sem nada de absolutamente notável para partilhar. E deviamos dar-nos por contentos, mas queremos ter direito ao nosso momento, nem que por escassos minutos, ser notáveis.

 

Eu por exemplo fui notável porque o Pepe Rapazote, actor que estimo, andou a ver alguns dos meus stories no instagram. Só que não. E ainda fiquei irritada porque o que realmente acontece é que alguém que gere a conta do actor anda a tentar aumentar 'à força' o seu número de seguidores. Esta técnica a mim não me convence. A não ser que eu soubesse que o Pepe realmente via os meus conteúdos e de alguma forma eu lhe fizesse sentido, e se ele me fizesse sentido, então carregaria no botão 'seguir' sem hesitar. Apesar de lhe apreciar o talento, o Pepe não me faz sentido enquanto criador de conteudos na plataforma instagram, logo não o sigo, tal como sei que ele não me segue nem sequer sabe da minha existencia.

 

O que conta são os números e não as pessoas. Sempre foi assim, mas hoje é à descarada. Mal comparado, é como pagar o jantar a uma tipa (mas o real objectivo é levá-la para a cama) ou perguntar-lhe directamente 'comé, queres foder?' É assim que as coisas funcionam porque dizem, não há tempo a perder com trivialidades. Para mim um jantar nunca é trivial e se a companhia for boa então já ganhei o dia (com ou sem sexo à mistura). Mas isso sou eu, que vivo presa a outro tempo em que havia ' uma coisa muito bonita chamada sedução', a frase não é minha é do parvo do Vitor Espadinha que levou o Sam The Kid a tribunal por usá-la em jeito de tributo num sample do tema 'sedução'.

Nisto, já me estou a desviar do assunto, como de costume. Vamos lá voltar a focar. Eu não sigo por seguir, nem gosto por gostar, e sei que o instagram tem vindo a ser considerada a rede social mais nociva para a saúde mental dos miúdos. Porque há a pressão de teres muitos seguidores, é suposto teres pelo menos 1k. Se tens apenas 257 seguidores deverias cobrir a cara com producto fecal de vacas felizes dos Açores, porque é realmente uma vergonha. E é este tipo de influencia que os 'influencers' passam para quem os segue. É este tipo de mensagem que as marcas têm como válida para querer trabalhar com um simples instagramer. Sem números não vais lá e não vale a pena. Os números que tens no instagram influenciam a maneira como olham para ti, para a tua relevancia, para o quanto vales no racking dos seres humanos mais 'fucking amazing' do burgo. Só que tudo isto é mentira mas querem-nos fazer acreditar à força que sim, somos validados pelos K's que temos.

 

Não é por isso de admirar que um actor extraordinário e versátel como o Pepe Rapazote tenha cedido à pressão. Imagino o agente dele a ter uma daquelas conversas de papagaio armado em carapau de corrida  'olha lá ó Rapazote, pá tu tás em baixo no instagram pá. Se queres realmente ser levado a sério como actor em Hollywood, pá, tens de ser seguido pelo menos por 2 Milhões de pessoas. Topas?'. E pronto, o Pepe que não deve topar nada de redes sociais e lá embarca neste esquema macaco, deixando um atrasado mental monitorizar-lhe a conta. O que acontece? O nome do actor espalha-se por tudo o que é storie como as tendo visto, deixando o rasto como forma de isco, é suposto os tolos ficarem contentes e seguirem-no sem nenhuma intenção especial.  

 

Eu diria que o Pepe não precisa disto para nada. É bom no que faz e tem trabalho. Quem o convenceu que devia ser o rei do instagram deve estar neste momento sentado no penico a monitorizar o instagram do actor que continua a pular de storie em storie como um tolinho. É foleiro e cobre-me de vergonha alheia.

 

Mas não percam a esperança neste molho de aparencias que são as redes sociais. No outro dia fui presenteada por uma mensagem de voz via instagram do Enrique Arce, o Arturito da série 'casa de papel' que me agradeceu a mensagem que lhe enviei a dar os parabens pelo livro que escreveu e que me comoveu francamente. Humidifiquei um pouco, não nego. O Enrique é um misto de Robert Downey Jr com Alenjandro Sanz que são apenas dois dos homens por quem tenho uma monumental queda, tirando o que dorme comigo todas as noites.

1 comentário

Comentar post